jump to navigation

Finalmente uma ação verdadeiramente responsável junho 12, 2009

Posted by Daniel Aleixo in Prêmio Atitude.
Tags: , , , , , , , ,
add a comment

Ainda há tempo, basta acreditar

Hoje vi uma notícia que me deixou cheio de esperança. Tanto que me fez criar uma nova categoria aqui no blog. É legal quando isso acontece, porque há uma grande rixa entre publicitários e jornalistas. Nós, publicitários, costumamos dizer que os jornalistas são pessimistas, só querem saber de desgraça, afinal, notícia ruim é que vende jornal.

É claro que eles não deixam por menos, nos acusando de prostitutos, vendidos, porcos capitalistas e materialistas. Mas isso não vem ao caso agora. O fato é que essas rusgas não levam a nada e só empobrecem. Perder tempo com esse tipo de coisa é perder oportunidades de trabalhar em questões realmente produtivas.

Enfim, eu vi uma notícia que me deixou cheio de esperança. Esperança de que nem tudo está perdido e ainda há salvação. As maiores redes varejistas do Brasil (Pão de Açúcar, Carrefour e Wal-Mart) decidiram que, a partir de hoje, não comprarão mais carne de 11 frigoríficos acusados de comercializar gado criado em áreas de devastação da floresta amazônica.

Esta decisão foi tomada em conjunto pelas 3 empresas, após denúncias feitas pelo Ministério Público Federal e pelo Greenpeace. Os tais frigoríficos serão notificados, terão as compras suspensas e deverão apresentar guias de trânsito animal anexadas às notas fiscais, a fim de comprovar a origem da carne comercializada por eles.

O que é legal nisso tudo é a união entre concorrentes para resolver uma questão muito maior do que as de mercado. Em prol do planeta e da sociedade, suas diretorias se reuniram e assumiram um compromisso em comum.

É claro que tais atitudes são pensadas para evitar ações legais, protestos de ONG’s e a revolta dos consumidores ambientalistas e esclarecidos. Atitudes como esta de hoje só têm a contribuir para a melhora da imagem das empresas. Seria inocência pensar que tudo isso aconteceu pela boa vontade mas, independente das motivações, quem ganha somos nós.

Ganhamos porque percebemos que nossa opinião conta, que se decidirmos não comprar em certa loja porque nos atende mal ou porque não tem preocupação sócio-ambiental, ela vai perder muito. Ganhamos porque percebemos que temos poder, podemos pressionar as autoridades, quem tem dinheiro, enfim, quem acha que manda. Ganhamos porque estas certezas nos motivam e nos inspiram a questionar mais, cobrar mais e conquistar mais.

Não fiquemos parados. Façamos tudo o que estiver ao nosso alcance. Porque sabemos que não podemos fazer tudo sozinhos, mas se cada um fizer sua parte, juntos podemos fazer tudo.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u580142.shtml

O melhor de dois mundos: marketing e entretenimento junho 11, 2009

Posted by Daniel Aleixo in Novidades.
Tags: , , , , , , , , , , ,
4 comments

Hannah Montana e Miley Cyrus

Miley Cyrus. Esse nome pode não ser familiar a você, mas basta sintonizar no Disney Channel que você vai ser exposto à um milhão de chamadas para o seriado Hannah Montana, o filme Hannah Montana ou produtos licenciados com a marca (advinha!) Hannah Montana. Miley Cyrus é atriz e é a protagonista da série.

Com apenas 16 anos, Miley é apontada como a adolescente mais influente do showbussines, ficando em 35º na lista de personalidades mais influentes publicada pela revista americana Forbes. Tamanho “poder” vem do balanço registrado pela franquia Hannah Montana: 4 milhões de espectadores somente nos EUA, 1 bilhão de dólares em produtos licenciados (de cadernos à guitarras de brinquedo, passando por uma infinidade de produtos), 1 milhão de cópias vendidas do CD com a trilha sonora da série (com músicas cantadas pela própria Miley) e 33 milhões de dólares de faturamento do filme Hannah Montana: The Movie somente no fim de semana de estréia nos Estados Unidos.

São números impressionantes, ainda mais se paramos para pensar que ela mesma, a adolescente Miley Cyrus, embolsou 25 milhões de dólares no ano passado. Mas qual é o segredo para esse sucesso? Sinceramente, se eu soubesse, com certeza estaria bem melhor de vida agora… Lamentos à parte, podemos ver algumas coisas que fazem de Miley uma atriz teen diferente das outras, apesar de ser bem parecida.

A primeira questão a se observar é a convergência de mídias que envolve a franquia Hannah Montana/Miley Cyrus. O carro chefe, sem dúvida, é a série de TV, um tanto auto-biográfica, na minha opinião: uma menina que se divide entre a carreira de cantora e a vida normal de uma adolescente, indo para a escola, implicando com o irmão e se divertindo com os amigos. Tudo isso sob o disfarce de Miley (que coincidência, não?) Stewart.

A série, como já falado acima, produziu um CD com trilha sonora cantada pela própria Miley Cyrus. Este CD foi o trampolim para inúmeros shows nos EUA. O dilema central da série (vida de estrela ou vida comum) pôde ser explorado mais profundamente* em um longa metragem, o que implica em mais um CD de trilha sonora. Tudo isso acontecendo enquanto os shows ficam cada vez mais cheios e concorridos, gerando mais lucros.

Paralelamente, uma quantidade infinita de produtos licenciados permite o envolvimento cada vez maior do espectador (público na faixa dos 9 aos 13 anos de idade) com a personagem, fidelizando esse público e permitindo que haja uma sobrevida maior da marca.

É importante frisar que, apesar de parecer uma estratégia massificante (e realmente é), o que poderia gerar um desgaste da imagem da atriz, a Disney tem o trunfo da dualidade Hannah/Miley. Isto permite que haja uma divisão de eventos e produtos entre ambas (mesmo sendo a mesma pessoa), que são encaradas como produtos distintos, tanto pela empresa, quanto pelo público. Hannah é cantora, pop star, tem glamour, vida agitada de festas, premiações etc. Miley é uma garota comum, com problemas comuns. Hannah é admirada pelas pré-adolescentes, enquanto elas mesmas se identificam Miley.

Esta dupla capacidade de capturar a atenção do espectador talvez seja um dos principais fatores, agora na âmbito do entretenimento, para o sucesso milionário da atriz. Ela é uma das poucas personalidades teen que conseguem ter grande popularidade tanto com as meninas (o público óbvio) quanto com os meninos. As meninas se espelham na personagem, sonhando alto com uma vida de estrela. Já os meninos, de acordo com a revista Veja (link abaixo, de onde tirei os dados monetários e esta informação sobre meninos), adoram Miley por causa da sua beleza e seu jeito descolado e engraçado.

Outra questão importante é a sua circulação no showbiz. Ela namorou um Miley Cyrus e Nick Jonasoutro astro teen, Nick Jonas, da bandinha adolescente Jonas Brothers, fazendo duetos musicais com ele e gravando clipes, mesmo depois de o relacionamento já ter terminado. Ela também é constantemente vista em festas e eventos de celebridades, além de ser tratada com muito apreço pela Disney: sua festa de 16 anos, com vários famosos entre os convidados, fechou um parque da companhia e contou com 5 mil pessoas na platéia para o show realizado naquela noite.

Muitos atores mirins desaparecem quando crescem. Seja porque já cansaram o público com sua imagem ou porque não se renovam e ficam sem graça. Miley parece estar indo na direção oposta. A medida em que seu público original cresce, ela vai deixando transparecer sua maturidade. Aos poucos a personagem Hannah Montana vai desaparecendo, dando lugar à cantora e atriz Miley Cyrus. Os shows, que antes eram anunciados como sendo de Hannah, agora são da Miley. E o público está aceitando bem esta transição.

Paralelo a isso, ela vem preparando terreno para se tornar uma sex symbol em um futuro próximo. Já há algum tempo fotos sensuais de Miley vêm aparecendo na internet (ao mau exemplo do que vem acontecendo com tantas outras atrizes e cantoras). Algumas delas com amigas, outras com namorados e mais tantas sozinha, de biquini e lingerie.Fotos assanhadas de Miley com o namorado

Não quero dizer com isso que tais “vazamentos” são premeditados ou intencionais. Realmente acredito em inocência e estupidez. De qualquer forma, as pessoas tomam conhecimento disso, vêem as fotos e mudam seus pensamentos. Neste momento ela deixa de ser apenas uma menina engraçada e sapeca para ser sensual também.

Miley Cyrus se assanhando de novo

Com certeza esses acidentes (que já renderam um ensaio controverso para a revista Vanity Fair, dado o caráter bem sensual das fotos) ajudarão Miley na transição de ídolo adolescente para uma estrela adulta. E os milhões continuarão a chegar.

*Quando digo “mais profundamente”, não quero dizer que seja algo reflexivo, mas apenas que a “trama” dura quase 2 horas e se baseia quase que exclusivamente neste aspecto.

Fonte: http://veja.abril.uol.com.br/100609/p_152.shtml