jump to navigation

Histórias reais de fantasmas e assombrações outubro 1, 2009

Posted by Daniel Aleixo in Bizarrices.
Tags: ,
13 comments

Incrível! Cenas muito fortes. Se você tem estômago fraco não assista! Do contrário, assista aos vídeos e veja os primeiros registros reais de fantasmas e assombrações (é preciso saber inglês para aproveitar os vídeos ao máximo).

Anúncios

Chocolate mata e cigarro engorda julho 26, 2009

Posted by Daniel Aleixo in Bizarrices.
Tags: , , , , , , , , , , , ,
1 comment so far

Se você, como eu, achava que os únicos malefícios do cigarro estavam em desenvolver uns nove tipos diferentes de câncer e deixar certas partes do corpo masculino inoperantes, lamento informar que está redondamente enganado. Claro, tudo isso realmente acontece com os fumantes, mais cedo ou mais tarde. A questão é que os problemas não param por aí.

Um rapaz dos Estados Unidos foi comprar um maço de cigarros ao se dar conta de que os seus tinham acabado inadvertidamente. Como sempre costuma fazer em situações assim, ele foi até a loja de conveniência de um posto de gasolina perto de sua casa, em New Hampshire.

Feita a transação, o cara voltou para sua residência, talvez um pouco preocupado com o seu saldo no banco. Ele fez a compra em cartão e, pelas suas contas, já devia estar com um saldo negativo de algumas centenas de dólares. Ao acessar o site do banco para conferir sua situação financeira, ele teve uma gigantesca surpresa: seu saldo negativo era de US$ 23.148.855.308.184.500 (cerca de 45 quatrilhões de reais).

Sim, não eram centenas, milhares ou milhões. Eram QUATRILHÕES! Sem saber o que fazer (e quem pode culpá-lo?), o ridiculamente endividado rapaz correu para o posto de gasolina para ouvir que eles nada poderiam fazer pelo seu problema. Desiludido e atordoado, resolveu ligar para o banco.

Depois de duas horas no telefone (viu como não são apenas os SAC’s brasileiros que ficam enrolando as pessoas?), tentando resolver o mal entendido, o Bank of America corrigiu o erro, inclusive deixando de cobrar a taxa de US$ 15 para uso de quantia acima do saldo da conta. Legais eles, não?

Só para constar, o valor da dívida temporária do cidadão é 2347 vezes maior do que a dívida do governo dos EStados Unidos, que estava em torno de US$ 9,860 trilhões em 2007. Se nem Obama consegue pagar isso, imagine um pobre mortal, como eu e você?

Portanto, leitor, além de câncer e impotência, o cigarro também pode engordar. Engordar sua dívida com o banco. Para quem fuma, fica o alerta.

Agora, se você não fuma (ou fuma, tanto faz) e tem o sonho de mergulhar em uma piscina de chocolate derretido, essa notícia que chegou ao meu conhecimento é para você.

Um trabalhador, também americano e de apenas 29 anos, morreu. Até aí nada excepcional, certo? E se eu falar que o cara morreu depois de cair em um tonel de 2,40 metros de altura, repleto de chocolate?

O que é o sonho de muito chocólatra por aí custou a vida de alguém. Mas, se você é um desses chocólatras por aí, provavelmente a primeira coisa que irá pensar ao ler isto será algo do tipo: “Que cara idiota! Se fosse eu, ia comer tudo!”.

Mas a explicação de por quê o idiota rapaz morreu, ao invés de se esbaldar, foi que o tonel em que ele caiu funcionava como um grande misturador de chocolate, onde uma pá gigante remexia o produto, em  estado líquido e muito quente.

Ao cair no potão, além de se queimar todo, a pá acertou o pobre homem na cabeça, matando-o. Então, da próxima vez que você pensar em se jogar em um pote gigante cheio de chocolate, certifique-se de que o produto não está quente e de que nenhuma pá gigante vai acertar você.

Fontes:

http://economia.uol.com.br/ultnot/bbc/2009/07/15/ult2283u1894.jhtm

http://noticias.uol.com.br/bbc/2009/07/09/ult36u46839.jhtm

Comer em fast food já é seguro novamente maio 6, 2009

Posted by Daniel Aleixo in Bizarrices, Reflexões.
Tags: , , , ,
add a comment

Passamos anos de nossas vidas ouvindo as críticas feitas aos restaurantes fast food. Esquerdistas engajados acusando estas empresas de serem disseminadoras do ideal hegemônico estadunidense. Médicos, nutricionistas e toda sorte de profissionais da área de saúde alertando para o fato de que a comida servida em tais estabelecimentos mal poderia ser chamada de comida. Até documentários já foram feitos no sentido de demonstrar os perigos de uma dieta regada a lanches altamente gordurosos.

Mas essa história está prestes a mudar. O Mc Donald’s, a maior e mais famosa rede de restaurantes fast food, acaba de iniciar um programa que promete agregar valor à marca, no que diz respeito à responsabilidade social.

Na cidade de Granges-Paccot, na Suíça, uma menina de 7 anos encontrou entre as batatas fritas, um pacote de camisinha aberto. Só dez horas depois da compra é que a mãe procurou a polícia, o que dificultou a perícia do artefato. Uma coisa foi assegurada: o preservativo “não foi usado em uma relação sexual completa”.

Este caso nos faz refletir sobre muitas coisas. Primeira de todas: o que seria “relação sexual completa”? O usuário fez tudo e só não chegou lá porque as batatas tinham ficado prontas? Ou será que só tinha dado tempo de colocar a camisinha, sem nem conseguir colocar na portinha? Muito impreciso, muito impreciso…

Segundo ponto: por que será que a mãe demorou tanto tempo pra ir à polícia? Tá certo que ela alegou ter levado o lanche para viagem e que a filha demorou a começar a comer. Mas dez horas??? Imagina o estado do lanche, frio, amassado e murcho. Nem precisava ter uma camisinha usada para ser nojento.

Esta demora nos leva à terceira questão: como será que a mãe se saiu em uma situação dessas? É claro que as crianças hoje já não são tão inocentes como já foram outrora. Elas sabem de coisas que a gente só foi descobrir depois de velho. Mesmo assim, não consegui tirar da cabeça que, talvez, esta tenha sido a primeira vez que aquela mãe teve que falar de sexo com a filha.

– Mãe, olha o que eu achei na batata!

– Filha! O que é isso?!

– É brinde, mãe. No Mc Lanche Feliz também tem brinquedo.

– Me dá isso aqui! Agora!

– Mas por quê, mãe? O que é isso?

– Isso aqui é… hum… ahn…

– Mãe?

– Ah, isso é uma… uma…

– Uma o quê?

– Uma… um…

– Fala logo, mãe!

– É uma coisa que se usa quando dois adultos… hum… se conhecem e, bem, querem ficar um tempo um com o outro para… para se conhecer melhor e… e… e fazer coisas que só podem fazer num lugar, assim, sem ninguém…

– Você tá falando de sexo?

– Como é que é??

– É, mãe, a professora já falou sobre isso na escola. E faz tempo que você não conhece ninguém, né?

– …

Este, que é um momento temido pelos pais, pode ficar muito mais fácil com a ajuda do Ronald. Afinal, quem melhor do que um palhaço para ensinar educação sexual?

Venda casada: compre uma batata grande e ganhe uma surpresa maior ainda!

Fonte: http://economia.uol.com.br/ultnot/2009/05/05/ult1767u144939.jhtm