jump to navigation

Barrichello é botafoguense! julho 14, 2009

Posted by Daniel Aleixo in Reflexões.
Tags: , , , , , , , , , ,
add a comment

Rubens Barrichello veste a camisa do Botafogo

Há um bom tempo eu escrevi um post sobre Massa. Nele eu fiz uma brincadeira respeitosa linkando o corredor de fórmula 1 com o tradicional clube de futebol carioca, o Vasco da Gama.

Entrementes, é uma pena o clube cruz-maltino estar na segunda divisão. Não sou vascaíno, aliás nem torço pra nenhum time, mas para o futebol carioca é muito ruim ter rodízio de clubes na segundona. Isso só mostra o descaso dos dirigentes e a falta de estrutura dos clubes e, pelo jeito, as coisas ainda vão demorar a mudar. Depois reclamam que a imprensa só fala dos clubes paulistas. Mas isso é tema para outro post. Voltando…

Dessa vez, farei algo parecido com o post do Massa. Depois de muito observar as atitudes de Rubens Barrichello, o nosso Rubinho, cheguei à seguinte conclusão: Barrichello torce para o Botafogo!

Não há como negar. Vejamos os sinais:

1-> Ele é reclamão: Alguns pilotos são famosos por seus títulos, outros por sua vida pessoal, mas Rubinho é conhecido por reclamar o tempo todo. Até quando ganha! Palavras do ex-companheiro de Ferrari, Michael Schumacher, sete vezes campeão da fórmula 1: “Barrichello é assim: reclama quando perde e quando ganha”.

Michael Schumacher num lugar pouco freqüentado por Rubinho

2-> Acredita em teoria da conspiração: Quem não se lembra das intermináveis acusações de que a Ferrari favorecia Schumacher, dando ao alemão um carro superior, mais bem regulado. Toda corrida era a mesma coisa. Schumacher em primeiro e Rubinho sendo rebocado por problemas no câmbio, na direção, nos pneus, no capacete, na rebinboca da parafuseta. Só não viam problema no piloto…

3->Perde porque é roubado: Como todos bem sabem, a comissão julgadora em uma corrida de fórmula 1 interfere muito pouco, apenas em casos de deslealdade ou irresponsabilidade na pista. Mas, como bom botafoguense, Rubinho não perde a chance de fazer acusações. “Hoje me sinto roubado. Demos um verdadeiro show de como se perder uma corrida”. Esta declaração estava no Twitter do piloto, no dia da última corrida, domingo, 12/07/2009. Mas poderia estar em qualquer lugar a qualquer tempo. É um roubo descarado!

Rubinho demonstrando sua vocação botafoguense

4-> Chororô: “Foi uma boa sessão para o time, e parabéns ao Button. Entretanto, do meu lado da garagem, o carro estava saindo de frente e não fomos capazes de solucionar esse problema”. “É um saco passar por tudo isso e ver que você fez tudo certo e foi prejudicado”. “Se acontecer novamente, não vou mais seguir ordens do time”. E ninguém cala, esse chororô…

Chorar faz bem, mas em Rubinho ainda não teve resultado...

P.S.: Eu sei que não vai adiantar, mas não custa tentar. Caro leitor botafoguense: em nenhum momento o intuito deste post foi denegrir a imagem do tradicional clube alvi-negro. A motivação para este post foi a mesma do post “Massa é vascaíno!”: fazer uma brincadeira com o imaginário do torcedor, com o senso comum que vigora em nossa sociedade. É claro que o Botafogo é muito mais do que um time que reclama. É um time vitorioso. E a história está aí pra não deixar ninguém mentir.

P.S.2: Depois de tanto tempo, voltei a postar! Final de período já é uma loucura, mas quando você tem um monte de feriados que atrasam as provas de Legislação e Ética, tudo fica pior. Ainda mais quando você tem que estar em sala às 7h30min pra não ganhar uma falta, enquanto estão todos viajando, indo à praia ou exercitando a nobre arte de coçar em casa…

Anúncios

Comer em fast food já é seguro novamente maio 6, 2009

Posted by Daniel Aleixo in Bizarrices, Reflexões.
Tags: , , , ,
add a comment

Passamos anos de nossas vidas ouvindo as críticas feitas aos restaurantes fast food. Esquerdistas engajados acusando estas empresas de serem disseminadoras do ideal hegemônico estadunidense. Médicos, nutricionistas e toda sorte de profissionais da área de saúde alertando para o fato de que a comida servida em tais estabelecimentos mal poderia ser chamada de comida. Até documentários já foram feitos no sentido de demonstrar os perigos de uma dieta regada a lanches altamente gordurosos.

Mas essa história está prestes a mudar. O Mc Donald’s, a maior e mais famosa rede de restaurantes fast food, acaba de iniciar um programa que promete agregar valor à marca, no que diz respeito à responsabilidade social.

Na cidade de Granges-Paccot, na Suíça, uma menina de 7 anos encontrou entre as batatas fritas, um pacote de camisinha aberto. Só dez horas depois da compra é que a mãe procurou a polícia, o que dificultou a perícia do artefato. Uma coisa foi assegurada: o preservativo “não foi usado em uma relação sexual completa”.

Este caso nos faz refletir sobre muitas coisas. Primeira de todas: o que seria “relação sexual completa”? O usuário fez tudo e só não chegou lá porque as batatas tinham ficado prontas? Ou será que só tinha dado tempo de colocar a camisinha, sem nem conseguir colocar na portinha? Muito impreciso, muito impreciso…

Segundo ponto: por que será que a mãe demorou tanto tempo pra ir à polícia? Tá certo que ela alegou ter levado o lanche para viagem e que a filha demorou a começar a comer. Mas dez horas??? Imagina o estado do lanche, frio, amassado e murcho. Nem precisava ter uma camisinha usada para ser nojento.

Esta demora nos leva à terceira questão: como será que a mãe se saiu em uma situação dessas? É claro que as crianças hoje já não são tão inocentes como já foram outrora. Elas sabem de coisas que a gente só foi descobrir depois de velho. Mesmo assim, não consegui tirar da cabeça que, talvez, esta tenha sido a primeira vez que aquela mãe teve que falar de sexo com a filha.

– Mãe, olha o que eu achei na batata!

– Filha! O que é isso?!

– É brinde, mãe. No Mc Lanche Feliz também tem brinquedo.

– Me dá isso aqui! Agora!

– Mas por quê, mãe? O que é isso?

– Isso aqui é… hum… ahn…

– Mãe?

– Ah, isso é uma… uma…

– Uma o quê?

– Uma… um…

– Fala logo, mãe!

– É uma coisa que se usa quando dois adultos… hum… se conhecem e, bem, querem ficar um tempo um com o outro para… para se conhecer melhor e… e… e fazer coisas que só podem fazer num lugar, assim, sem ninguém…

– Você tá falando de sexo?

– Como é que é??

– É, mãe, a professora já falou sobre isso na escola. E faz tempo que você não conhece ninguém, né?

– …

Este, que é um momento temido pelos pais, pode ficar muito mais fácil com a ajuda do Ronald. Afinal, quem melhor do que um palhaço para ensinar educação sexual?

Venda casada: compre uma batata grande e ganhe uma surpresa maior ainda!

Fonte: http://economia.uol.com.br/ultnot/2009/05/05/ult1767u144939.jhtm

Pronto, virou moda abril 14, 2009

Posted by Daniel Aleixo in Reflexões.
Tags: , , , , ,
add a comment

Não vou falar muito neste post, até porquê a reportagem é auto-explicativa. Tudo o que vou falar é que, a partir de hoje, avise seus parentes e amigos para não chegarem perto de um arpão ou de alguém que esteja manejando um.

Ser atingido por um destes artefatos já é raro. Quando duas pessoas em menos de um mês são atingidas em locais potencialmente fatais e nada sofrem (além de procedimentos cirúrgicos aparentemente simples), significa que agora, se você for atingido no pé, morre. Eu é que não vou arriscar.

Acesse e leia a matéria, você vai entender o que eu estou falando.

www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u550031.shtml

O décimo post! fevereiro 16, 2009

Posted by Daniel Aleixo in Reflexões.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
3 comments

Eu gostaria de comemorar o fato de ter chegado tão longe! Nunca pensei que eu ia gostar desse negócio de escrever pra todo mundo ver. Tá certo que poucas pessoas leram o que eu escrevo aqui, mas não importa, eu continuo gostando!

Então, em homenagem ao meu décimo post, vou publicar 10 listas de 10 coisas que eu gosto, acho bacana, odeio ou acho uma merda. Vamos a elas!

I- Os 10 melhores guitarristas

img_865_102zakk-wylde2

1. Zakk Wylde

2. Kirk Hammett & James Hetfield (não há um sem o outro)

3. Jerry Cantrell

4. Ritchie Blackmore

5. Jimmy Page

6. Stevie Ray Vaughan

7. Slash

8. Tom Morello

9. David Gilmour

10. Tony Iommi


II- As 10 bandas mais detestáveis (não estão em ordem; eu não saberia dizer qual é pior)

Radiohead

1. Radiohead

2. Los Hermanos

3. Keane

4. Bandas Emo

5. Fall Out Boy (é tão detestável que merece ficar separado das outras bandas emo)

6. Bandas Emo brasileiras

7. NxZero (é tão detestável que merece ficar separado das outras bandas emo brasileiras; e sim, eles SÃO emo, não importa o quanto digam o contrário)

8. Limp Bizkit

9. Bandas Lesk-core (rock de playboy)

10. Coldplay (eu não tinha nada contra até eles começarem a plagiar as músicas dos outros)


III- Os 10 melhores filmes

Jurassic Park

1. Jurassic Park (todos os 3)

2. Réquiem Para um Sonho

3. Escola de Rock

4. Platoon

5. O Júri

6. Chamas da Vingança

7. Paranóia

8. Mar Aberto

9. O Senhor das Armas

10. O Exorcismo de Emily Rose


IV- Os 10 melhores filmes (ou seqüência de filmes) de comédia

Top Gang 2

1. Top Gang 2 – A Missão

2. Top Gang – Ases Muito Loucos

3. Borat

4. Todos do Adam Sandler

5. A Última Noite de Boris Grushenko

6. Um Convidado Bem Trapalhão

7. Corram que a polícia vem aí (e suas seqüências)

8. A série Austin Powers

9. Entrando Numa Fria (e sua seqüência)

10. A série Todo Mundo em Pânico


V- As 10 melhores marcas de guitarra

Gibson Les Paul

1. Gibson

2. Fender

3. PRS

4. ESP

5. Dean

6. Shecter

7. Cort

8. Godin

9. Washburn

10. Jackson


VI- As 10 montadoras de automóveis mais bacanas

Lamborghini Diablo

1. Lamborghini

2. Porshe

3. Jaguar

4. BMW

5. Aston

6. Mercedes-Benz

7. Jeep

8. Cadillac

9. Land Rover

10. Alfa Romeo


VII- Os 10 melhores baixistas

Cliff Burton

1. Cliff Burton

2. Robert Trujillo

3. Flea

4. Champignon

5. Steve Harris

6. Michael Inez

7. Blasko

8. Geddy Lee

9. John Myung

10. Chris Squire


VIII- Os 10 melhores vocalistas

James Hetfield

1. James Hetfield

2. Ozzy Osbourne

3. Bruce Dickinson

4. Eddie Veder

5. Layne Staley

6. Ian Gilan

7. Robert Plant

8. Chris Cornell

9. B.B. King

10. David Coverdale


IX- Os 10 melhores bateristas

Neil Peart

1. Neil Peart

2. John Boham

3. Lars Ulrich

4. Dave Grohl

5. Nicko McBrain

6. Mike Portnoy

7. Mike Bordin

8. Craig Nunenmacher

9. Ian Paice

10. Jason Bohan


X- As 10 coisas mais idiotas para se fazer lista de 10 mais ou 10 menos


1. O melhor álbum da história

2. A melhor música de todos os tempos

3. A melhor banda de rock

4. O melhor guitarrista, baixista, baterista e afins

5. Os melhores qualquer coisa do ano

6. Os piores qualquer coisa do ano

7. As 10 coisas que você precisa fazer, ver, etc, antes de morrer

8. As 10 essenciais qualquer coisa

9. Os 10 livros que você tem que ler

10. Os 10 filmes que você tem assistir


AVISO IMPORTANTE: ESTAS LISTAS QUE VOCÊ ACABOU DE LER NÃO REFLETEM NADA A NÃO SER A HUMILDE OPINIÃO DESTE QUE VOS ESCREVE. CASO NÃO CONCORDE COM AS LISTAS ACIMA, POSTE AS SUAS NOS COMENTÁRIOS. OBRIGADO.

Vitória nas pistas e na política novembro 11, 2008

Posted by Daniel Aleixo in Reflexões.
Tags: , , , ,
add a comment

Entraram para a história

 

A semana passada foi uma semana de acontecimentos inéditos. Tudo começou no domingo, com a conquista do campeonato mundial de Fórmula 1 por Lewis Hamilton. Um dia em que a história do esporte ganhou um capítulo importante.

Lewis é o primeiro piloto negro de F1. Com o título, se tornou o primeiro negro a vencer um campeonato da categoria, além de ser o mais jovem piloto a vencer a competição. São três fatos inéditos realizados por uma pessoa apenas. Sorria Hamilton, seu nome já está eternizado.

Outro personagem que fez história na semana que passou, só que dois dias depois, foi Barack Obama. Ele foi eleito presidente dos Estados Unidos, com uma participação recorde do eleitorado americano (como o voto não é obrigatório nos EUA, é um grande feito conseguir mobilizar as pessoas e levá-las às urnas). Obama se tornou, assim, o primeiro presidente negro que os EUA já tiveram.

Esta eleição, em um momento de crise econômica e incertezas, foi marcada também pela participação de imigrantes – legais, é claro – que enxergaram em Obama a esperança de um governo diferente.

Confesso que eu não gosto muito desse tipo de discurso que prega mudanças estruturais e rompimentos com a velha política. Esse discurso elegeu Lula e, sem querer julgar seu governo, que mudanças estruturais e rompimentos com a velha política ele trouxe? Nenhuma. O funcionalismo público está mais inchado do que nunca, escândalos de corrupção envolvendo os altos escalões do governo se sucedem e as velhas raposas da política brasileira continuam tomando conta do galinheiro. Nada mudou, a não ser o fato de termos eleito por duas vezes um presidente que só tem o ensino fundamental incompleto.

Por tudo isso, temo que Barack Obama seja conhecido no futuro apenas por ter sido o primeiro presidente americano negro. Temo que suas promessas de campanha, que mobilizaram tanta gente, não sejam cumpridas. Mas também temo que suas mudanças, caso existam, não sejam para melhor. É difícil imaginar algo pior do que o governo Bush, mas tudo é possível. Espero, sinceramente, que ele faça um bom governo e não decepcione seus eleitores.

Política à parte, eu achei que Obama não iria nem passar das prévias do partido. Por quê? Pelo nome, é claro. Primeiro que, na minha cabeça, os americanos jamais votariam em alguém cujo nome é assustadoramente parecido com o de Osama Bin Laden. Para minha surpresa, aquilo que eu achei que seria o maior anti-marketing do mundo, não afetou os rumos da campanha do senador democrata. Pelo contrário, parece que ninguém percebeu essa semelhança.

Confesso que achei muito engraçado ver um monte de americanos gritando e ovacionando o nome de Obama. Mas o espanto pela vitória só aumentou quando eu descobri, depois da eleição, o nome do meio de Barack Obama: Hussein. Isso mesmo, Barack Hussein Obama. O novo presidente americano carrega o nome daquele que foi um dos maiores inimigos do seu país. Quando eu li essa informação, eu caí na gargalhada! Simplesmente não consigo acreditar como esse nome não atrapalhou Barack. E pior, que ninguém percebeu isso.

Até o Beckham passa por isso novembro 6, 2008

Posted by Daniel Aleixo in Reflexões.
Tags: , , , ,
2 comments

Muitas vezes, nós, homens comprometidos, somos cobrados por nossas amadas pelo fato de termos, sem querer, olhado para a bunda de outra mulher. Tem caras que se revoltam, falam que não olharam, que foi impressão dela e coisas do tipo. Outros pedem desculpas e emendam um “só olhei pra confirmar que a sua é muito mais bonita”. Estratégias à parte, não há como evitar o puxão de orelha e, dependendo do temperamento da sua garota, um esporro daqueles.

Para mostrar que mesmo as maiores celebridades não estão imunes a estes deslizes, resolvi postar as fotos abaixo. Não importa o dinheiro, a fama, a esposa ou a quantidade mulheres que corre atrás do cara. Se ele for hétero, vai olhar para a bunda alheia.

Beckham olhando discretamente

Beckham olhando discretamente

Beckham olhando descaradamente

Beckham olhando descaradamente

E Victoria, que já devia estar de antena ligada, percebeu a olhada do marido

E Victoria, que já devia estar de antena ligada, percebeu a olhada do marido

Victoria fica chateada e cabe a Beckham contornar a situação

O jogo começa: Victoria fica chateada e cabe a Beckham contornar a situação

Agora é esperar, porque quem está no controle é ela

Agora é esperar, porque quem está no controle é ela

Massa é vascaíno! novembro 6, 2008

Posted by Daniel Aleixo in Reflexões.
Tags: , , , , , ,
3 comments

Antes de qualquer coisa, gostaria de dizer que o Massa fez uma excelente corrida no último domingo (2 de novembro). Aliás, seu campeonato foi surpreendente, já que começou muito mal. Muitos entendidos diziam que Massa não teria um papel de destaque nesta temporada. Mas o cara se recuperou, foi ganhando pontos e corridas preciosos e chegou ao último GP com chance de ser campeão. Uma chance bem pequena, mas que foi realidade por alguns metros. Felipe Massa fez o dele. Infelizmente (para ele) a sorte não estava do seu lado. Coisas da vida, ele ainda é novo, tem uma longa carreira pela frente, blablabla etecétera e tal.

Também gostaria de dizer que o meu intuito não é ofender o Vasco e seus torcedores. Só estou usando o gancho da brincadeira que foi feita com o Hamilton. Aliás, é este o tema do post.

urigeller

Foi o Hamilton que começou com a historinha. Ele foi visitar o Uri Geller antes de vir para o Brasil, numa espécie de consulta ou aconselhamento espiritual. Se você não sabe quem é Uri Geller, não se sinta mal. Ele é o rapaz aí do lado, um pseudo-paranormal que dizia ser capaz de entortar colheres e chaves usando apenas sua mente. Como todos que se diziam capazes de fazer coisas parecidas, as pessoas acabaram descobrindo que era tudo mentira.

 

freada1

Aí veio o Massa com a história da cueca. Superstição por superstição, ele também tinha a dele. E não era nada singela. O que o Massa faz é usar a mesma cueca do treino classificatório na corrida. Agora imagina: depois de suar horrores naquele carro apertado e ter comido aquele monte de carboidrato para repor as energias (acreditem, eles perdem muitas calorias dirigindo), como é que não deve ficar o estado da peça íntima?. E depois da corrida? Nessas horas imagino toda a força que um piloto faz nas curvas mais acentuadas, nas ultrapassagens mais difíceis. É aí que “acidentes” podem acontecer. Mas este pode ser tema de outro post, quem sabe?

Bom, aí as equipes vieram para o Brasil. Os pilotos mais badalados tiveram que cumprir uma grande agenda de compromissos os mais variados. Num desses compromissos, Lewis Hamilton foi alvo das famosas urucubacas brasileiras. Além de gatos pretos de pelúcia, ele foi presenteado com uma camisa do Vasco. Não seria nada de mais se não tivesse sido um humorista que tivesse feito o “agrado” ao piloto.

Vou explicar para o caso de você não ser carioca. A brincadeira que corre é que o Vasco nunca se sagra campeão, é sempre vice. As torcidas dos outros times sempre cantam o “vice de novo” em provocação à torcida alvinegra. O que esse cara quis dizer com o presente (é fato que o Hamilton não entendeu nada) é que o piloto inglês seria vice-campeão. Campeão mesmo era o Massa. Mas como já dizia um velho sábio do esporte, “se macumba ganhasse jogo, campeonato baiano terminava empatado”. 

015815067-in00E quem acabou sendo o vascaíno da vez foi o Massa. E tanto os torcedores do Vasco quanto aqueles que odeiam o clube vão concordar comigo. Quer ver? A torcida vascaína gosta de cantar que o time deles é o “time da virada”. Algo do tipo: pode começar perdendo, mas sempre vira no final. 

20081030lewishamiltoncamisavasco3

O Felipe, por alguns instantes, foi o campeão. Vettel ultrapassou Hamilton, deixando-o em 6º lugar e sem o título. Isso há 3 curvas do fim. Uma virada épica, de dar orgulho a qualquer torcedor. Só que a alegria não durou mais que 500 metros. Glock foi ultrapassado por Vettel e Hamilton, o que devolveu a 5ª colocação e o título ao inglês. Uma reviravolta de decepcionar qualquer um, mesmo os mais acostumados com a idéia.

Por tudo isso, concluí que o Hamilton deveria dar o presente que recebeu para o Felipe. Fica mais contextualizado assim.

  904738-5922-ga

Olá, mundo! outubro 15, 2008

Posted by Daniel Aleixo in Reflexões.
Tags: , ,
add a comment

Esse título automático é muito legal. Parece que você só “nasce” para o mundo ao criar um blog no WordPress. Algo do tipo: “Antes você não era ninguém, um anônimo. Agora com o seu mais novo blog, você ganha voz e espaço”.

É interessante se você pensar que só 11,5% dos brasileiros têm internet em casa. É claro que a porcentagem aumenta ao incluirmos todas as pessoas que possuem algum tipo de acesso à web, seja no trabalho, em casa, na lan house… 21,5%. Impressionante, não?

Mas voltemos ao início. Para se ter um blog, você precisa de tempo para escrever, postar, pesquisar vídeos e imagens legais. Convenhamos, alguém que só acessa internet do trabalho ou da lan house não tem tempo pra isso. Então descartamos 10% da população brasileira e ficamos só com os 11,5% que têm internet no aconchego do lar. São esses 22 milhões que têm potencial para criar um blog e dar um “olá” para o mundo.

Mas isso é só potência. Afinal, só há 6 milhões de blogueiros no território nacional (ou que tenham pelo menos nascido nele). Apenas 6 milhões de pessoas com “voz e espaço”. São 6 milhões de um universo de 190! Portanto, esse título automático para o primeiro post é bem escroto. 

Claro que isso não é um complô do sistema para naturalizar a exclusão social e camuflar as contradições do mundo. Por outro lado, nos faz pensar em como se dá o processo de exclusão hoje. Se antes eram os títulos de nobreza, hoje é o acesso à informação e a capacidade de trabalhar com as novas tecnologias que define quem está inserido e quem está marginalizado.

Então, aproveite bem este espaço. Se você é um dos 6 milhões, escreva, critique, esculhambe, elogie. Se você não tem um blog, participe comentando os posts, entrando em discussões e, quem sabe, faça o seu próprio blog. Vai por mim, é legal! Quem sabe esta possa ser a única forma de existir para o mundo…